quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

"The Curious Case of Benjamin Button"


Se há filmes que nos fazem pensar na vida, O Estranho Caso de Benjamin Button é um deles. Nos primeiros minutos somos levados a um início já presenciado por quem viu Titanic, uma senhora idosa à beira da morte que relembra o seu passado, mas desta vez tem consigo a sua filha que lhe vai lendo um diário, as memórias de Benjamin Button.
Este é sem dúvida um filme que me surpreendeu pela positiva, e nem me importam se as criticas são positivas ou não, o caso é que este caso está nomeado para os Óscares de 2009, com 13 nomeações, e eu consigo entender perfeitamente a razão. Uma mistura muito bem construída e conseguida entre o drama e o cómico, em que num minuto sentimos pena pelo pobre destino de Benjamin, como no minuto seguinte rimos com a eloquência da situação. Divertido e profundo posso dizer.
E há já muito tempo que não vertia uma lágrima por causa de um filme, e este consegui-o sem problemas. Por uma vez sustive-as, mas no final, foi inevitável, esta história envolve-nos sem nos apercebermos e quando damos por nós, já não há volta a dar.
A história é tão simples, quanto a utopia de o tempo andar para trás. Todos nós já pensamos como seria se o processo de crescimento humano fosse ao contrário, e se quando nascêssemos fossemos velhos e fossemos regredindo à medida que o tempo fosse caminhando. Pois bem, Benjamin nasceu assim mesmo, como uma criança idosa com problemas de saúde de uma pessoa de 80 anos. Se tivesse nascido num mundo em que todos tinham o mesmo destino, talvez não houvesse problema, mas não, neste mundo, o ponteiro dos segundos não caminha na direcção oposta…
É então motivo para dizer, deixem-se levar e riam, emocionem-se, sintam pena e tristeza, sintam alegria, sintam tudo aquilo que conseguirem. Esta pode não ser uma história totalmente inovadora, mas a forma como tudo se compõe, desde a fotografia à banda sonora, a acção e os cenários, o guarda-roupa e os sentimentos, tudo se encaixa como se uma nova grande peça de arte se tratasse. Porque no fundo este caso retrata mesmo isso, o caso da vida, o caso de que tudo tem um propósito, até mesmo quando não o conseguimos ver. Soberbo! E numa escala de 0 a 20… um merecido 19!


4 comentários:

pipo disse...

Adorei o resumo do filme! Tambem adorei o filme e daria nota 18;19.
Aas ter a tua companhia ainda e foi melhor! Bjkas bem grandes gosty

Samson disse...

Já diziam os tios Charles Chaplin e Woody Allen que deviamos fazer na vida um percurso inverso e bater as botas num belo de um orgasmo (supostamente aquele que nos concebeu - esperemos é que nao tenha sido num fingido humpf)
Tenho de ir ver o filme mas ando sem paxorra cinéfila.
E só para chatear apetece me chamar te drama queen de avental às flores.
e é isto, peidinhos p ti!

Sofia disse...

Adorei adorei adorei! esse filme é simplesmente fantastico,à muito tempo que não via um filme tão bom...
Trasmite-nos uma visão de vida totalmente diferente, fez-me ver "vida" e o nosso percurso "aqui" em diversas perpectivas. Este filme transmite-nos uma mensagem que faz todo o sentido, que tu tão bem soubeste transmitir na tua descrição de "The Curious Case of Benjamin Button"

Beijo minha Diva*

Sofia disse...

Adorei adorei adorei! esse filme é simplesmente fantastico,à muito tempo que não via um filme tão bom...
Trasmite-nos uma visão de vida totalmente diferente, fez-me ver "vida" e o nosso percurso "aqui" em diversas perpectivas. Este filme transmite-nos uma mensagem que faz todo o sentido, que tu tão bem soubeste transmitir na tua descrição de "The Curious Case of Benjamin Button"

Beijo minha Diva*